18 de out de 2010

O dia-a-dia e um saco de balas

Um dia desses, eu ouvi uma comparação muito interessante entre o nosso dia-a-dia e um saco de balas.
Era assim: imagine cada dia como uma bala que vai se desfazendo lentamente na boca.
Do saco de balas podem sair sabores inesperados...

Às vezes doce, às vezes amargo.

Começar o dia é como tirar de um saco de balas o sabor das próximas 24 horas.
É preciso, então, ficar atento na hora de escolher, porque, uma vez dentro da boca, o sabor logo se espalha, trazendo prazer ou desconforto.

A balinha amarga, por exemplo, daquelas que tem gosto de mau humor e tristeza, fica ali, rodando pesada dentro da boca, tornando o dia difícil e arrastado.

Tem gente que gosta da aventura do sabor meio azedinho, meio doce, que combina bem com a surpresa, com o inesperado.


Tem gente que escolhe o sabor picante, que desperta os sentidos pra um dia de agitação.
Na escolha dos românticos e sonhadores, a doçura do mel pode garantir um dia sereno, tranquilo, com gosto de paz.

O chato é que tem pessoas que, por preguiça ou falta de ânimo, vão buscar lá no fundo do saco aquela balinha sem gosto de nada. e aí o dia passa sem nenhuma emoção.

O que eu enxergo nisso tudo é que a vida oferece um saco de balas a cada um de nós como um desafio.
E não tem jeito, o saco vai estar sempre lá, cheio de balas, de todos os sabores.

Então a dica é a seguinte:

Vamos sacudir bem esse saco, futucar, virar do avesso, procurar com cuidado por aquela balinha especial, gostosa, macia...
Aquela a bala da boa mesmo, que pode trazer o melhor gostinho pro nosso dia...



Texto: Lena Gino





Reações:

0 comentários:

Postar um comentário