11 de jul de 2011

Dez situações que todo mundo enfrenta no frio

Os catarinenses estão passando pela maior onda de frio dos últimos 47 anos. E enquanto os termômetros marcam, pelo 6° dia consecutivo, temperaturas abaixo de zero, que transformam a paisagem, nós também mudamos.
E assim como os pratos, frutas, bebidas e paisagens típicas da estação, nos tornarmos figuras típicas do inverno: encasacados, preguiçosos, encarangados e gordinhos…
Saiba quais são as dez situações que você e todo o mundo enfrenta no frio: (indiferente de vc gostar de frio ou não)


1. Pés e mãos parecem congelar



Na verdade, não chegam a congelar, mas esfriam muito. O dermatologista Décio da Fonseca Ribeiro explica que os vasos sanguíneos se contraem no frio e, por isso, a circulação fica mais lenta e, consequentemente, pés e mãos esfriam tanto.












2. Preguiça

De tomar banho, de sair da cama. Quem não tem? É claro que com as baixas temperaturas o normal é você querer ficar aquecido. Sair da cama quentinha dá arrepios só de pensar. E tomar banho então! Ter que tirar aquele monte de roupas e enfrentar o frio? Ninguém merece.




















 3. Apetite aumenta

Comer em mais quantidade e alimentos ricos em calorias. Segundo a nutricionista Vanessa Cristina Assunção é normal isso acontecer no inverno. Tudo é uma tentativa de aquecer o corpo. Entram no cardápio, por exemplo, chocolates quentes, sopas e cremes, feijoada e cafés mais elaborados.






4. Pele e lábios ressecam

Claro que ressecam, afinal, no inverno suamos menos e nosso corpo, segundo o dermatologista Ribeiro, cria mais gordura. Além disso, banhos mais quentes e mais demorados ajudam a ressecar a pele em geral, principalmente as mais finas como ao redor dos olhos, lábios e mãos.







5. Ficamos mais lentos e com dores

A fisioterapeuta Rosimeri Mezzari explica que o corpo no inverno fica muito mais sensível. Tudo por causa da circulação, que diminui. Os membros ficam mais contraídos. Segundo ela, a falta de exercício também faz com que o corpo perca a elasticidade e, assim, os músculos sentem mais dores.






6. A água da torneira congela

Sim, congela! Em dias de temperaturas muito baixas, é normal acontecer o congelamento natural da água nas instalações hidráulicas das residências, principalmente na Serra Catarinense. Assim, o hidrômetro do pátio da casa, os canos da caixa d’água e até a tubulação interna podem quebrar facilmente. É importante proteger os hidrômetros com panos, jornais ou caixas de papelão e deixar os registros fechados e as torneiras abertas entre o fim da tarde e o meio da manhã seguinte. Isso vai evitar que acumule água na tubulação e ninguém entrar pelo cano.


 7. Carro não pega

E não pega mesmo! Se você deixar qualquer coisa ligada (faróis, luz interna, rádio ou ar) na hora de dar a partida, ele não vai pegar mesmo. O mecânico Nereu da Silva Neto explica que na hora de ligar o carro, a bateria deve direcionar sua carga somente para o motor. Ele diz, ainda, que é importante não acelerar imediatamente, mas deixar o motor funcionar alguns segundos, para dar uma esquentada antes do arranque.



8. Desejo de ficar perto do fogo

É óbvio! Afinal, o fogo é quente e o inverno é muito frio! Esquentar mãos e pés em aquecedores e lareiras é tudo de bom. Serve até um fogo de chão. Mas é preciso tomar cuidado, o pneumologista Marcio Costa da Silveira de Ávila alerta que é preciso cuidar com a fumaça que volta para dentro do ambiente no caso das lareiras. Ela é tão prejudicial à saúde quanto a do cigarro, e pode causar enfisema pulmonar.






9. Andar com muita roupa

O mito de que o inverno é a época em que as pessoas se vestem com mais estilo e sofisticação não é tão real. Pelo menos é isso que a designer de moda Débora Caroline Boell afirma. Segundo ela, principalmente na região serrana, onde o inverno é muito rigoroso, fica difícil priorizar o estilo. O negócio é se encasacar mesmo e ficar feito uma cebola, com várias camadas de roupas no corpo. Gorro, touca, cachecóis, meias grossas, casacos de nylon, e tudo que possa esquentar o corpo, principalmente as extremidades (mãos, orelhas, pés) tá valendo. O jeito é priorizar o conforto e evitar um resfriado.

10. Jogar bola cheio de roupa

O corpo está mais lento, contraído, sensível e com a circulação mais lenta por causa do frio. Isso nem o futebol resolve. A fisioterapeuta Rosimeri Mezzari dá a dica: aquecer bastante antes de começar não só o futebol como qualquer outro tipo de exercício físico. Se o corpo estiver quente, dá para tirar algumas peças e melhorar a desenvoltura física.








Fonte: ClicRBS
08 de julho de 2011


By Lorenço





Reações:

0 comentários:

Postar um comentário